Uma Pegada mais Hi-Lo

Vocês têm visto por aí um abuso maior no brilho? No paetê, no holográfico até? Mas ao mesmo tempo uma galera saindo com roupas meio fitness e uma Profusão de T-Shirts nas redes de fast-fashion e outras lojas de departamento? Impressionante como há tão pouco tempo, dava um medinho de sair de casa trabalhada no brilho e ficar over. Ou ainda adotar aquela calça de punho mega confortável e ficar com cara de que não deu tempo de tomar banho depois da academia. Mãe de porta de escola, que não teve tempo de pensar em si mesma. Virou mito, ainda bem!

E isso se deve ao Hi-Lo, que simplesmente amo, e não é novo não, foi renovado! Hi-Lo é muito mais um estilo a ser adotado do que uma tendência propriamente dita. Vem do termo “High Low”, que significa “Alto” e “Baixo”, e não poderia ser mais literal. O “High” vai para a metade do look associada ao luxo, com bordados, peças extremamente sociais e alfaiataria, acessórios com pedrarias, dentre muitos outros. O “Low” para aqueles itens mais populares e até trash mesmo, como as camisetas, os esportivos, os rasgados, eu incluiria nessa os tricots descarregados e é lógico, as peças cortadas em casa, aquela coisa que apesar de um tanto surrada você morre de apego, as roupas do irmão, do pai, da tia, do namorado, da namorada, da vó, e no meu caso, da minha santa madrinha! De quem já herdei peças mara!

Já captou o princípio? Bom... Você basicamente escolhe uma peça High e uma Low e voilà! Tipo uma calça boyfriend lavada e rasgada, com tênis, blusinha de lamê e blazer, quem sabe uma bolsinha transpassada com mais cara de festa para complementar, você estará classicamente Hi-Lo! Aliás nada mais atual do que o Look + Tênis, só vale lembrar que o tênis pode ser usado para construir um look Hi-Lo, tipo usar um vestido curto de paetê com tênis, mas não necessariamente um look que você monte com um tênis, vai ser classificado como tal.

Aonde usar? Qualquer lugar! Mas meu favorito é balada, pois ele quebra aquela coisa arrumadinha, que é um tanto quanto adolescente, e você pode abusar do que estiver com vontade, decote, salto, make. Mas ele é sensacional também para a troca de ambientes, por exemplo sair de uma festa e ir para um boteco de bairro com os amigos. É o antigo “troca só os acessórios”, quando todos os realitys de transformação de moda da TV falavam para levar um salto fino e uma clutch para o trabalho e trocar antes de sair para o Happy Hour, mas convenhamos que não é tão prático assim...

Além de ser um estilo muito querido pelo conforto, já me salvou várias vezes. No começo do ano, fui ao aniversário de uma modelo num pub de rock aqui em São Paulo, não conhecia o lugar, não conhecia o grupo de pessoas que estariam lá, não conhecia nada. As informações que tinha, eram: “Tô bem casual amiga”, “Mas o povo aqui é fino”. Mas também sei que as ‘modeletes’ são povo de moda né, e eu tinha que colocar salto pra dar uma amenizada na diferença de altura. Fui com hot pants de paetê, e uma camiseta seriamente prejudicada pelo tempo, que peguei da sacola de doações do meu primo na casa da minha avó para um projeto da faculdade (há anos atrás), e por causa da lata Campbell estampada na frente, nunca consegui cortar, e desenvolvi por ela um amor inexplicável. Dobrei as mangas um pouquinho e não precisei muito mais que isso para me sentir à vontade.

Bom também para fazer testes com roupas encalhadas no armário, ou peças que você só imaginou usar de um jeito (roupa rotulada)! E aí? Se animou? Melhor hora para abrir o armário e deixar de ser tão certinha ou tomar coragem e ofuscar uns e outros!










Isadora Rodrigues - 23/10/2020

São Paulo/SP

14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo